AHDig: 100 participantes

 

AHDig_100_novoA AHDig, fundada em outubro de 2013, chegou neste mês de julho de 2014 aos 100 participantes inscritos.

Esta é uma grande conquista para a Associação, e marca um momento propício para fazermos um balanço do nosso perfil coletivo, e, principalmente, para planejarmos nosso futuro.

Para dar partida aos debates, trazemos aqui um breve panorama quantitativo sobre essas primeiras inscrições – logo mais, apresentaremos uma reflexão mais detida sobre os projetos e as propostas de debates trazidas por cada participante da rede.

Nesse aspecto mais panorâmico, é interessante notar que entre nossos 100 primeiros participantes há pesquisadores de cinco países, trinta e cinco instituições e vinte e três áreas do conhecimento; as Figuras 1, 2 e 3, que descrevemos mais adiante, ilustram esse universo em maior detalhe.

Nossa rede, de fato, forma agora um universo extremamente interessante e diverso. Os projetos trazidos pelos participantes em suas inscrições – alguns já incluídos na Rede AHDig, outros ainda a serem listados – representam iniciativas de pesquisa originais e relevantes para a área das Humanidades Digitais, como pretendemos debater em um próximo post.

Por ora, queríamos apenas mostrar um pouco do nosso levantamento em andamento, e manifestar nossa satisfação pelo crescimento da Associação nesses primeiros nove meses – um tempo de gestação completo, do qual ainda podemos esperar bons frutos.

Abraços a todos,

Maria Clara Paixão
pela Comissão de Fundação

Levantmento inicial – O universo dos 100 primeiros inscritos

dados_ahdig_6765_image001
Figura 1 – Participantes por países (clique para ampliar)

A maioria dos participantes da AHDig está radicada no Brasil (com sessenta membros) e em Portugal (vinte e nove membros), mas temos também um participante na Espanha, um na Argentina e um nos Estados Unidos (Figura 1).

Trinta e cinco instituições de ensino e pesquisa de cada um desses países estão representadas no nosso painel de participantes: a Universidade de São Paulo conta com vinte participantes, a Universidade Estadual de Feira de Santana com nove, a Universidade Nova de Lisboa com oito membros, a Universidade de Lisboa e Universidade Estadual de Campinas com sete participantes cada uma, a Universidade de Évora com cinco participantes, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e a Universidade Federal do Ceará com quatro participantes cada uma, e a Universidade Federal de São Paulo conta com dois participantes. Outras vinte e três instituições de ensino e pesquisa são representadas com um participante cada uma, e três dos participantes da rede são independentes (Figura 2).

O quadro por áreas do conhecimento se distribui por vinte e três grandes temas, sendo as áreas mais densamente populadas a História, em que atuam vinte e dois de nossos participantes, a Linguística, dezoito participantes, a Filologia e a Linguística Histórica, doze, a Ciência da Informação, oito, a Educação, onde atuam seis participantes, a Arqueologia, a Arquivística e os Estudos Literários com três participantes cada uma, as áreas de Artes, Estudos de Mídia, Computação e Linguística Computacional com dois participantes em cada uma, e mais sete áreas representadas por um participante  – Antropologia, Engenharia Informática, Estudos do gênero, Museologia, Música, Produção Cultural e Teologia (Figura 3).

 Figura 2 - Participantes por Instituições

Figura 2 – Participantes por Instituições (clique para ampliar)
Figura 2 - Participantes por Áreas
Figura 2 – Participantes por Áreas (clique para ampliar)

Breve histórico da AHDig

A ideia de formar uma associação para reunir pesquisadores envolvidos nas chamadas “Digital Humanities” no universo da língua portuguesa veio de algumas conversas durante as reuniões do Grupo de Pesquisas Humanidades Digitais, na Universidade de São Paulo, tomou corpo ao longo da organização do Dia das Humanidades Digitais em Português e Espanhol, e concretizou-se durante dois eventos importantes no segundo semestre de 2013, a I Oficina sobre Construção e Uso de Grandes Corpora e o I Seminário Internacional em Humanidades Digitais no Brasil.

A primeira reunião geral para a criação da Associação foi realizada em 12 de setembro de 2013, durante a I Oficina sobre Construção e Uso de Grandes Corpora, realizada na Universidade Estadual de Campinas. Na ocasião, um grupo pesquisadores reunidos em torno dos desafios envolvidos no desenvolvimento da ferramenta de edição eletrônica eDictor declarou, em sessão especial, seu apoio à criação da Associacão, então batizada de AHDig – Associação das Humanidades Digitais. Estiveram presentes vinte pesquisadores, representando quatro Universidades brasileiras (USP, UNICAMP, UEFS E UESB) e a Universidade de Lisboa. Nessa sessão, além de escolher o nome da Associação e debater as linhas gerais de seu funcionamento futuro, decidiu-se que uma sessão oficial de fundação da Associação deveria ser realizada em outubro, por ocasião do Seminário Internacional organizado pela equipe da USP.

Em 22 de outubro de 2013, foi realizada uma segunda reunião, ainda com o objetivo de discutir as linhas gerais do funcionamento da nova Associação e de deliberar sobre as providências para sua fundação. Desta vez reunidos na Universidade de São Paulo, estiveram presentes oito pesquisadores de três univesidades Brasileiras (USP, UNIFESP e UNICAMP) e de três universidades portuguesas (Universidade de Lisboa, Universidade Nova de Lisboa e Universidade de Évora), além de pesquisadores de outras instituições no Canadá, na França, na Espanha e em Israel, que colaboraram com suas idéias e suas experiências em organizações ligadas às Humanidades Digitais naqueles países.

2013-10-25_AHDig
Fundação da AHDig – São Paulo, 25/10/2013

Finalmente, em 25 de outubro de 2013, no encerramento do I Seminário Internacional em Humanidades Digitais no Brasil, foi oficialmente fundada a  AHDig., Associação das Humanidades Digitais, com a presença dos participantes do seminário e da Comissão de Fundação, que havia sido apontada em 22 de outubro como responsável pela implementação inicial das atividades no grupo.

Assim, a AHDig conta, hoje [5 de novembro de 2013], com um grupo de vinte e seis participantes, que corresponde ao conjunto dos pesquisadores que estiveram presentes em uma das três reuniões de criação da Associação. Nossa ideia é que esse grupo se amplie, para que a Associação possa começar a caminhar na direção do objetivo central colocado na nossa Declaração de Fundação: o de formar como uma rede de colaboração entre pesquisadores unidos pela língua portuguesa e pela inclusão da perspectiva digital em seus horizontes de pesquisa.

Inicialmente, funcionaremos como uma rede virtual, por meio deste espaço e de uma lista de discussões a ser implementada em breve. Até o início de 2014, a Comissão de Fundação tem como tarefa apresentar uma proposta para o funcionamento consolidado da Associação, deliberando seus mecanismos futuros de filiação e as atividades que serão abrigadas na entidade.

Convidamos a todos os que se identificam com o campo das Humanidades Digitais a participar dessa primeira etapa das atividades!

Escreva para ahdig.portugues[arroba]gmail.com, ou preencha nosso formulário de adesão, aqui.