Associação das Humanidades Digitais

A Associação das Humanidades Digitais é uma rede de pesquisadores unidos pela língua portuguesa e pela inclusão da perspectiva digital em seus horizontes de pesquisa.

Nosso principal objetivo é fortalecer as iniciativas em Humanidades Digitais já ativas no universo dos falantes do português, e promover novas inicitivas nesse campo entre eles. Este será um fórum onde esses pesquisadores poderão debater e compartilhar suas experiências, tecendo redes no interior dessa esfera cultural e linguística, que possam levar ao trabalho colaborativo e ao aumento da visibilidade internacional dos projetos em Humanidades Digitais conduzidos em português.

A língua portuguesa, com 244 milhões de falantes nos cinco continentes, é hoje a quarta língua mais falada no mundo, e a quinta língua mais presente na internet, com 88 milhões de usuários. A AHDig foi fundada em 25 de outubro de 2013 por pesquisadores portugueses e brasileiros, e está aberta a novos participantes ligados à reflexão sobre o digital em qualquer parte do mundo, que falem ou conduzam suas pesquisas em português, ou que tenham interesse em investigar as múltiplas esferas da expressão cultural nessa língua.

Investigação utilizando Arquivos da Web: Apelo a Comunicações!

O workshop RESAW@Porto2018 será uma introdução aos arquivos da web para investigação em Humanidades e Ciências Sociais que reunirá especialistas de todo o mundo nesta área.

É a primeira vez que um workshop RESAW é realizado em Portugal e será uma excelente oportunidade para ganhar ou aprofundar conhecimentos.

Todos os detalhes em: http://arquivo.pt/resawPorto2018.

Está aberto um apelo à vossa participação e ajuda na divulgação deste evento:

– Notícia acerca do workshop em Português: https://goo.gl/tQAQZj
– Notícia acerca do workshop em Inglês: https://goo.gl/A9XZ4N
– Call for Proposals: ver texto abaixo.

O prazo para submissões termina no dia 15 de junho.

Congresso de Humanidades Digitais em Portugal

Congresso de Humanidades Digitais em Portugal: construir pontes e quebrar barreiras na era digital

Debater o papel das Humanidades na academia e na sociedade é uma tendência de longa data. A confluência deste debate com o das transformações trazidas pela tecnologia digital também não é recente: não se pode falar de “novas tecnologias” para as Humanidades quando muitos investigadores recorrem ao digital há pelo menos quatro décadas, em disciplinas tão diversas como a Linguística, a História ou os Estudos Literários. Contudo, o impacto do recente discurso ligado às Digital Humanities tem levado a desenvolvimentos interessantes na investigação em Humanidades. Com efeito, têm-se dinamizado as redes entre investigadores de uma forma nunca antes vista, têm-se construído pontes entre as Humanidades e outras Ciências, têm-se quebrado barreiras disciplinares no seio das próprias Humanidades. O Congresso de Humanidades Digitais em Portugal pretende precisamente estimular essas intersecções, abrindo um fórum de partilha e discussão de resultados de investigação ou de projectos ainda em curso neste campo de conhecimento.

Temas gerais do Congresso: Sem prejuízo de outros temas que possam surgir mais tarde, o Congresso de Humanidades Digitais em Portugal convida os interessados a enviar propostas de comunicação ou cartaz que demonstrem ou discutam as potencialidades das Humanidades Digitais para a interdisciplinaridade dentro das Humanidades e com outras áreas de conhecimento, bem como para a produção de um conhecimento mais acessível e aberto. As comunicações serão organizadas em seis blocos temáticos:

  • Espaço: Exploração de dados georeferenciados nas Humanidades
  • Corpora: Recolha, anotação e pesquisa de grandes volumes de informação textual
  • Mundos virtuais: Recriação e exploração de ambientes humanos presentes e passados
  • Edição e preservação digital: Edições críticas electrónicas e preservação do património
  • Visualização: Construção de interpretações visuais de dados nas Humanidades
  • Ferramentas: Apresentação e discussão de software aplicado às Humanidades

Comissão Organizadora:

Daniel Alves, IHC e FCSH, Universidade Nova de Lisboa

Rita Marquilhas, CLUL, Universidade de Lisboa

Manuel Portela, CLP,  Universidade de Coimbra

Dália Guerreiro, CIDEHUS, Universidade de Évora

Comissão Científica:

Amélia Polónia, Universidade do Porto

Daniel Gomes, Fundação para a Computação Científica Nacional

Helena Barbas, Universidade Nova de Lisboa

José Luís Borbinha, Instituto Superior Técnico

Luís Espinha da Silveira, Universidade Nova de Lisboa

Manuela Martins, Universidade do Minho

Maria Isabel Rocha Roque, Universidade Europeia

Maria Manuel Borges, Universidade de Coimbra

Pedro Rangel Henriques, Universidade do Minho

Chamada para comunicações: A Comissão Organizadora apela ao envio de propostas de comunicação (15 minutos) ou cartazes ao Congresso de Humanidades Digitais em Portugal, a ter lugar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, nos dias 8 e 9 de Outubro de 2015. As propostas devem ser registadas até ao dia 15 de Março de 2015, através da plataforma EasyChair (https://easychair.org/conferences/?conf=hdpt2015). Depois de efectuar o registo na plataforma como “Autor”, os proponentes devem registar o seu nome, contactos e filiação institucional, bem como o título, resumo (máx. 500 palavras) e palavras-chave (máx. 5) da sua comunicação. Todas as propostas passarão por um sistema de blind peer review, sendo os resultados dessa avaliação enviados para os proponentes até ao dia 15 de Maio de 2015. As comunicações e cartazes devem ser apresentados em português ou inglês. Está prevista a publicação de um conjunto seleccionado de comunicações numa revista científica com peer review no Verão de 2016. A Comissão Organizadora pode ser contactada através do endereço  congressohdpt@gmail.com

Inscrições:

– Inscrição com comunicação ou cartaz até 30 de Maio de 2015 (40€)

– Inscrição geral até 31 de Julho de 2015 (40€)

– Inscrição estudantes até 31 de Julho de 2015 (10€)

– Inscrição geral depois de 31 de Julho de 2015 (70€)

– Inscrição estudantes depois de 31 de Julho de 2015 (20€)

Brevemente serão disponibilizadas mais informações sobre as inscrições e o modo de pagamento.

Mais informações:

Página do Congresso: http://congressohdpt.wordpress.com/

Facebook: https://www.facebook.com/congressohdpt

Twitter: https://twitter.com/CongressoHDPT   —   #HDPT2015

Google+: https://plus.google.com/u/5/104055586971171341437/

Email: congressoHDPT@gmail.com

Apoios:

Instituto de História Contemporânea, Universidade Nova de Lisboa (http://ihc.fcsh.unl.pt/)

Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (http://www.clul.ul.pt/)

Centro de Literatura Portuguesa, Universidade de Coimbra (http://www.uc.pt/fluc/clp/)

Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora (http://www.cidehus.uevora.pt/)

Associação das Humanidades Digitais (http://ahdig.org/)

Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Dia das Humanidades Digitais 2014

logo-pt-PTO “Dia das Humanidades Digitais 2014” (versão em espanhol e português) terá lugar no dia 15 de outubro de 2014.

Dia HD é um projecto que pretende documentar um dia de trabalho de pessoas que estejam envolvidas em projectos que ligam as humanidades e a computação. Pretende-se reunir pessoas de todo o mundo que falem ou trabalhem primordialmente nos idiomas espanhol e português, para através de texto e imagem registar os eventos e actividades de um dia de trabalho. O objectivo do projecto é cruzar num único local os labores de todos os participantes, deste modo elaborando um recurso digital com o qual se possa responder à questão “O que é que os humanistas digitais efectivamente fazem?

Para além da experiência em publicação digital colectiva, o evento é uma oportunidade de divulgarmos o nosso trabalho, gerar novos contactos e criar redes num campo de investigação que tem tido cada vez mais visibilidade nos últimos anos.

Dia Humanidades Digitais 2014

O Dia HD em português e espanhol é organizado por:

CenterNet
Humanidades Digitales Hispánicas. Sociedad Internacional (HDH)
Red de Humanidades Digitales (RedHD)
Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de Méixco
Associação das Humanidades Digitais (AHDig)
Asociación Argentina de Humanidades Digitales (AAHD)

Divulguem e participem!

A hashtag do Twitter para o evento é #diahd14

Para participar no projecto, por favor, registe-se aqui:
http://diahd2014.filos.unam.mx/registrarse

Informação mais detalhada sobre o projecto, estão disponíveis aqui:
http://diahd2014.filos.unam.mx/acerca

Recomendações para participar:
http://diahd2014.filos.unam.mx/recomendaciones

Poderá ter uma ideia do que foi a edição anterior em: O Dia das Humanidades Digitais (#diahd): uma aproximação em números ou Ainda o Dia das Humanidades Digitais de 2013

A Volta ao Mundo das Humanidades Digitais em 80 dias: P.S.

Imagem 383O dia 73 do projeto Around DH in 80 Days destacou mais um projeto da rede AHDig – Post Scriptum: Arquivo Digital de Escrita Quotidiana em Portugal e Espanha na Época Moderna.

Conduzido na Universidade de Lisboa pela equipe liderada pela Profa. Rita Marquilhas, membro da Comissão de Fundação da AHDig, o P.S. vem reunindo e estudando uma coleção de cartas privadas escritas durante a Idade Moderna na Península Ibérica. O material trabalhado no projeto é singularmente valioso, já que representa a escrita de indivíduos de diversas classes sociais, que nem sempre tem voz na historiografia – nesse caso, sua escrita ficou registrada em arquivos de processos judiciais, como provas de delitos:

“Podiam ser amos ou criados, adultos ou crianças, homens ou mulheres, ladrões, soldados, artesãos, padres, militantes políticos e outros tipos de agentes sociais. A sua epistolografia sobreviveu em casos excecionais, quando os seus percursos se cruzaram com os meios de perseguição da Inquisição e dos tribunais civis e eclesiásticos, instituições que costumavam fazer uso da correspondência privada como prova de delitos. Os documentos, que fazem parte de processos judiciais, vêm acompanhados de verdadeiras ‘entrevistas sociológicas’, levadas a cabo por inquisidores e juízes, o que permite aos investigadores uma contextualização mais adequada das relações interpessoais nas sociedades tradicionais”. (leia mais na apresentação do projeto)

Todo este material vem sendo colocado à disposição dos estudiosos na forma de um corpus digital com tratamento filológico e linguístico cuidadoso e acompanhado de estudos e culturais – fazendo do P.S. um dos projetos pioneiros nas Humanidades Digitais em português.

A passagem do projeto Around DH in 80 Days pelo P.S. em seu 73o dia somou-se à passagem pelo grupo Hímaco no dia 59 e à Biblioteca Brasiliana Mindlin no dia 23, formando os pontos lusófonos da viagem que passou pelos cinco continentes, mostrando 79 projetos sobre os mais diversos temas nas humanidades – todos com o ponto comum do envolvimento de recursos digitais. A lista completa vale uma visita.

A Volta ao Mundo das Humanidades Digitais chegou aos seus 80 dias ontem, 9 de setembro, com uma parada no próprio leitor. O balanço final da viagem é muito interessante, entre outras coisas por revelar ao mesmo tempo a densidade e a diversidade dos trabalhos identificados com as Humanidades Digitais nos mais diversos pontos do globo. Como destaca Alex Gil, idealizador do projeto, nesse último post,

Each of the projects and teams we highlighted here testify to the rich heterogeneity of digital practices in the humanities around the world. If they have anything in common it is their impulse to understand and remember the precious shards of our messy voices using our evolving mechanisms. They remind us that questions of preservation, standards, labor practices, diversity and many others we debate, cannot divorce themselves from what is actual. We hope that our future arguments point to the evidence at hand. We’ve provided 79 + 1 examples of arduous efforts around the world; we hope you can provide many more“.

Será interessante, agora, acompanhar de perto os desdobramentos da iniciativa, que certamente estarão em pauta no site da Global Outlook :: Digital Humanities.

 

II Seminário Internacional História e Língua – Interfaces

O  II Seminário Internacional História e Língua – Interfaces terá lugar no dia 23 de setembro de 2014 na Universidade de Évora. Os debates tocarão temas de extremo interesse para a comunidade das Humanidades Digitais, e contarão com a presença de diversos participantes da AHDig.

Confira a programação abaixo, e no site Bibliotecas e Humanidades Digitais.

 

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL HISTÓRIA E LÍNGUA – INTERFACES
23 de setembro de 2014
LOCAL: Universidade de Évora/Sala de docentes do Colégio do Espírito Santo
ENTRADA LIVRE: Para receber certificado, é favor inscrever-se (cidehus@uevora.pt)

Programa

ABERTURA -11H
MANHÃ (11H00 – 13h)
PAINEL I – HISTÓRIA E LÍNGUA
11h15 – Conferência de Abertura – Maria José Borcony Finatto (UFGRS, RS, Brasil):Lexicologia no Projeto PorPopular: usos de verbos e de substantivos no jornal popular brasileiro
12h00 – Maria Filomena Gonçalves & Ana Paula Banza (DLL/CIDEHUS-UÉ): Projeto EDHiLP: fontes (meta)linguísticas na Biblioteca Pública de Évora

TARDE
PAINEL II – HUMANIDADES DIGITAIS
14h30 – Dália Guerreiro (CIDEHUS-UÉ): “E meu reino siga”: a leitura digital do testamento de Afonso II
15h15 – Maria Isabel Rocha Roque (Univ. Europeia):  Entre o real e o virtual: a construção do museu como espaço para o turismo criativo

Pausa (16h00-16h30)
16h30 – Paula Carvalho (Univ. Europeia): Análise Automática de Sentimento ao dispor das Humanidades e das Ciências Sociais
17h15 Daniel Alves (UNL/Instituto de História Contemporânea): Visualização e análise espacial nas Humanidades: o que ganhamos, o que perdemos?
18h00Conferência de encerramento – Paulo Quaresma (/DI, CITI) – Como pode a informática ajudar na análise e divulgação de documentos históricos?

A volta ao mundo das Humanidades Digitais em 80 dias: O grupo Hímaco

Imagem 224O projeto Around DH in 80 Days é uma iniciativa da Global Outlook :: Digital Humanities que está apresentando uma série de trabalhos identificados com o campo das Humanidades Digitais no mundo todo, em oitenta dias.

No dia 56, o projeto fez sua segunda parada em terras lusófonas: o grupo em pauta é o Hímaco – História, Mapas e Computadores, participante da rede AHDig.

Na página do AroundDH, é possível ver o mapa dos projetos apresentados desde o começo da “volta” – que já passou pelos cinco continentes, visitando projetos novos e mais antigos, e fornecendo uma visão abrangente e inclusiva das iniciativas em HD nos últimos anos. Como explicam seus idealizadores neste post de apresentação, entretanto, o objetivo do projeto vai além de um mapeamento panorâmico: a ideia, de fato, é aproveitar o panorama para redefinir a ideia que temos das Humanidades Digitais – saindo um pouco da esfera mais hegemônica dos projetos Europeus e Norte-americanos, e investigando o que acontece em pontos menos comentados do planeta.

Vale a pena acompanhar esse trajeto!

AHDig: 100 participantes

 

AHDig_100_novoA AHDig, fundada em outubro de 2013, chegou neste mês de julho de 2014 aos 100 participantes inscritos.

Esta é uma grande conquista para a Associação, e marca um momento propício para fazermos um balanço do nosso perfil coletivo, e, principalmente, para planejarmos nosso futuro.

Para dar partida aos debates, trazemos aqui um breve panorama quantitativo sobre essas primeiras inscrições – logo mais, apresentaremos uma reflexão mais detida sobre os projetos e as propostas de debates trazidas por cada participante da rede.

Nesse aspecto mais panorâmico, é interessante notar que entre nossos 100 primeiros participantes há pesquisadores de cinco países, trinta e cinco instituições e vinte e três áreas do conhecimento; as Figuras 1, 2 e 3, que descrevemos mais adiante, ilustram esse universo em maior detalhe.

Nossa rede, de fato, forma agora um universo extremamente interessante e diverso. Os projetos trazidos pelos participantes em suas inscrições – alguns já incluídos na Rede AHDig, outros ainda a serem listados – representam iniciativas de pesquisa originais e relevantes para a área das Humanidades Digitais, como pretendemos debater em um próximo post.

Por ora, queríamos apenas mostrar um pouco do nosso levantamento em andamento, e manifestar nossa satisfação pelo crescimento da Associação nesses primeiros nove meses – um tempo de gestação completo, do qual ainda podemos esperar bons frutos.

Abraços a todos,

Maria Clara Paixão
pela Comissão de Fundação

Levantmento inicial – O universo dos 100 primeiros inscritos

dados_ahdig_6765_image001

Figura 1 – Participantes por países (clique para ampliar)

A maioria dos participantes da AHDig está radicada no Brasil (com sessenta membros) e em Portugal (vinte e nove membros), mas temos também um participante na Espanha, um na Argentina e um nos Estados Unidos (Figura 1).

Trinta e cinco instituições de ensino e pesquisa de cada um desses países estão representadas no nosso painel de participantes: a Universidade de São Paulo conta com vinte participantes, a Universidade Estadual de Feira de Santana com nove, a Universidade Nova de Lisboa com oito membros, a Universidade de Lisboa e Universidade Estadual de Campinas com sete participantes cada uma, a Universidade de Évora com cinco participantes, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e a Universidade Federal do Ceará com quatro participantes cada uma, e a Universidade Federal de São Paulo conta com dois participantes. Outras vinte e três instituições de ensino e pesquisa são representadas com um participante cada uma, e três dos participantes da rede são independentes (Figura 2).

O quadro por áreas do conhecimento se distribui por vinte e três grandes temas, sendo as áreas mais densamente populadas a História, em que atuam vinte e dois de nossos participantes, a Linguística, dezoito participantes, a Filologia e a Linguística Histórica, doze, a Ciência da Informação, oito, a Educação, onde atuam seis participantes, a Arqueologia, a Arquivística e os Estudos Literários com três participantes cada uma, as áreas de Artes, Estudos de Mídia, Computação e Linguística Computacional com dois participantes em cada uma, e mais sete áreas representadas por um participante  – Antropologia, Engenharia Informática, Estudos do gênero, Museologia, Música, Produção Cultural e Teologia (Figura 3).

 Figura 2 - Participantes por Instituições


Figura 2 – Participantes por Instituições (clique para ampliar)

Figura 2 - Participantes por Áreas

Figura 2 – Participantes por Áreas (clique para ampliar)

A História num Mundo Digital

IJHACNo ano em que foi formalizada a criação da linha temática de investigação do IHC “Humanidades Digitais e Investigação Histórica”, a coincidência de ver publicado um número especial da revista IJHAC com resultados de um workshop organizado na FCSH em 2011!

 

 

DHandES 2014 – Digital Humanities and e-Science

DHandes_quadradoEstão abertas as inscrições para o DHandEs 2014, o 1o Workshop  sobre Humanidades Digitais e e-Science, organizado com o apoio da AHDig . O Workshop acontecerá entre 20 e 21 de Outubro de 2014, como parte da programação da e-Science 2014, a 10a Conferência Internacional sobre e-Science do IEEE, Institute of Electrical and Electronics Engineers, na cidade do Guarujá, no Brasil.

O Workshop é motivado pela constatação de que há uma intersecção entre as “Humanidades Digitais” e a “e-Science”, ainda que as respectivas comunidades de práticas nem sempre concordem quanto à extensão e forma desse espaço comum (cf. por exemplo [1], [2] e [3], referências abaixo).

A ideia do encontro é explorar esse terreno comum, expandindo-o. Para isso, o workshop pretende reunir e debater pesquisas em diferentes áreas das Humanidades e das Ciências Sociais com participação intensiva de recursos computacionais.

Essa “participação intensiva de recursos computacionais” pode transformar profundamente os campos do conhecimento – pois esses recursos não configuram simplesmente métodos mais eficientes para se explorar perguntas tradicionais: ao contrário, eles modificam e expandem o tipo de perguntas que podem ser formuladas. A computação, nesse sentido, não se configura como simples instrumento, e sim se constitui como parte da análise. Surgem daí questões teóricas, metodológicas e epistemológicas, tanto para os campo que recorrem à computação, como para a computação em si.

O debate em torno de questões dessa natureza tem sido intenso no campo das Humanidades Digitais, como sabemos. A ideia do Workshop é trazer esses debaters para o contexto da comunidade de e-Science.

Nesse espírito, o DHandES 2014 pretende reunir tanto contribuições de teor mais técnico, como também trabalhos que se dediquem à discutir questões teóricas e epistemológicas sobre a relação entre a computação e os diferentes campos das ciências humanas.

A chamada de trabalhos detalhada, as datas importantes e todas as demais informações relevantes estão em
http://dhandes2014.ime.usp.br

DHandES_longo

Referências

[1] Anderson, S., Blanke, T., Dunn, S., ‘Methodological Commons – Arts and Humanities e-Science Fundamentals’, Phil. Trans. R. Soc. A 28, vol. 368 no. 1925, 2010.  http://rsta.royalsocietypublishing.org/content/368/1925/3779.full.pdf+html

[2] Dunn, Stuart; Blanke, Tobias (eds.). Special Cluster: e-Science for the Arts and Humanities.  Digital Humanities Quarterly, 3.4, 2009. http://www.digitalhumanities.org/dhq/vol/3/4/index.html

[3] Jankowski, N. W. (2007), Exploring e-Science: An Introduction. Journal of Computer-Mediated Communication, 12: 549–562. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1083-6101.2007.00337.x/full

DH 2014

Estão abertas as inscrições para a DH 2104 , a conferência internacional anual da Alliance of Digital Humanities Organizations (ADHO , http://digitalhumanities.org), a ser realizada entre 8 e 11 de Julho.

Realizada ininterruptamente desde 1990, a DH é o evento mais importante do campo das Humanidades Digitais; neste ano, a conferência será realizada em Lausanne, na Suíça, como iniciativa conjunta da ADHO, da Universidade de Lausanne e da Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne.

Mais informações no site: http://dh2014.org/ .

Featured Image -- 555

“R$ 98 milhões para pesquisas sobre a internet”

R$ 98 milhões para pesquisas sobre a internet
– Notícias Fapesp,
18/12/2013:

“O Ministério das Comunicações, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) firmaram convênio de cooperação no valor de R$ 98 milhões para apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica que contribuam para o desenvolvimento da internet no Brasil (…)”.

“Poderão apresentar propostas pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa e de pequenas empresas de base tecnológica (com menos de 100 empregados) de todo o país. Os projetos deverão estar alinhados a pelo menos um de três eixos de investigação – aplicações-chave para internet, engenharia e tecnologia e fundamentos científicos (…)”.

“O convênio prevê o desenvolvimento de projetos em seis linhas de investigação: Tecnologia Viabilizadora da Internet; Aplicações Avançadas da Internet; Comunicação em Rede e Cultura Digital; Políticas Relativas à Internet; Software Livre; Formatos e Padrões Abertos; e Aplicações Sociais de Tecnologia da Informação e Comunicação (…)”.

Leia mais em: http://www.fapesp.br/8390